Amante Desperto - Irmandade da Adaga Negra - J. R. Ward
Outra onda de instinto primitivo o invadiu.
Queria vê-la comer. Depois do sexo, depois de estar em seu interior, queria que comesse o alimento que lhe trazia, e queria que o comesse em sua mão. Que inferno, queria sair e matar algo para ela, trazer carne, cozinhá-la ele mesmo e alimentá-la até que estivesse satisfeita. E, depois, deitar-se ao lado dela com uma adaga na mão, protegendo-a enquanto dormisse.
Voltou a desaparecer no closet. Cara, estava ficando louco. Louco de pedra.
Amante Desperto - J. R. Ward

Erros meus, má fortuna, amor ardente
Em minha perdição se conjuraram;
Os erros e a fortuna sobejaram,
Que para mim bastava o amor, somente.

Tudo passei; mas tenho tão presente
A grande dor das cousas que passaram,
Que as magoadas iras me ensinaram
A não querer já nunca ser contente.

Errei todo o discurso de meus anos;
Dei causa a que a Fortuna castigasse
As minhas mal fundadas esperanças.

De amor não vi senão breves enganos…
Oh! Quem tanto pudesse que fartasse
Este meu duro Gênio de vinganças!

Luís Vaz de Camões, in “Sonetos” (via recitarpoesias)
Mago Aprendiz - Raymond E. Feist
— A sua boa disposição não me ajuda em nada a acalmar minha mente preocupada, Mestre de Caça.
[…] — Para a morte, qualquer hora serve. Chegará quando tiver que chegar. Assim sendo, para que tanta inquietação?
— É verdade - concordou Garret, o ar sério revelando que ficara convencido. — Para quê? Não é a chagada da morte quando lhe aprouver que me inquieta; é o convite que você lhe faz que me dá arrepios.
Mago Aprendiz - Raymond E. Feist
— Pode agora soprar fogo e fumaça, anão? É o novo dragão? Alguma vez houve um dragão tão diminuto?
— É só o meu cachimbo. - Explicou para que servia o tabaco.
— É algo muitíssimo estranha, mas, na verdade, o seu povo é estranho.[…]
Mago Aprendiz - Raymond E. Feist 
Àqueles que nutriram afeição por um cão fiel e sagaz, não preciso explicar a natureza ou a intensidade da recompensa daí derivável.
Edgar Allan Poe, “O Gato Preto”. (via writing-shadows)
Amante Eterno - Irmandade da Adaga Negra - J. R. Ward
[…] Meu gêmeo não esta triste ou confuso. Ele está destruído. Entende a diferença? se ele estivesse uma das duas coisas talvez você pudesse dar um jeito nele, mas, destruído? tudo o que se pode fazer é esperar paras enterrá-lo.
Amante Eterno  - J. R. Ward
Crescendo - Hush Hush - Becca Fitzpatrick
As Aventuras de Sherlock Holmes - Sir. Arthur Conan Doyle
— Não quero parar, Mary - seus polegares acariciaram-lhe a pele da garganta e depois pressionaram o seu queixo, inclinando-lhe a cabeça para trás. — Quero deixá-la excitada. Tão exitada que não sinta nada além de mim. De maneira que não pense em coisa alguma a não ser no que eu estiver fazendo com você. Quero que se derreta.
Amante Eterno - J. R. Ward 
Sou um vampiro. Sou um Guerreiro. Sou uma besta perigosa. Ao fim desta noite, não se lembrará de que algum dia me conheceu. E a ideia de não estar em sua memoria me faz sentir como se me apunhalassem no peito.
Amante Eterno - J. R. Ward